segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Procurando fotógrafo de casamento não muito caro?

Está procurando um fotógrafo pro seu casamento não muito caro? Se for barato, melhor ainda? Leia este texto. Ele foi escrito pelo fotógrafo americano Chris Cummins. A tradução/adaptação foi feita por Max Ferreira. O texto original está aqui.

Os locais de cerimônia e recepção já estão reservados. Você tem uma idéia do estilo do vestido que você quer, das cores e quem será sua dama de honra e seus padrinhos. A empolgação está crescendo! O próximo passo é a fotografia. Você sabe que você vai querer fotos maravilhosas do seu grande dia. Mas um breve olhar sobre fotógrafos de casamento e seus preços pode ser um grande susto. Fotografia, sem dúvida, é caro. Mas por quê? São apenas fotos, oras!

Aqui estão oito razões para os bons fotógrafos de casamento serem tão caros: 

1. Eles são qualificados. Ao considerar os fotógrafos e suas taxas, lembre-se que você não está pagando apenas o tempo de um fotógrafo no dia de seu casamento. Você está pagando por dez, quinze ou vinte anos de compromisso que são necessários para criar imagens maravilhosas nas poucas horas em que ele vai fotografar durante o dia de seu casamento. Pagando mais do que você poderia esperar de um fotógrafo, qualificado e experiente, você está se concedendo a garantia extra que você poderá desfrutar das memórias de seu casamento para os próximos anos. Como a maioria das profissões, tornar-se um fotógrafo de qualidade consistente e profissional exige anos de trabalho duro. Muitos fotógrafos fizeram faculdade de fotografia, “comeram o pão que o diabo amassou” trabalhando como assistentes de outros fotógrafos ou como freelancers de jornal. Eles também gastaram incontáveis noites pesquisando fóruns on-line falando sobre as formas mais recentes e modernas para melhorar seu trabalho. Eles estão trocando informações com colegas e lendo inúmeros livros apenas para se manterem atualizados. Eles fizeram vários milhares de fotos de uma infinidade de assuntos. Seu casamento não deve ser o maior desafio da curva de aprendizagem de seu fotógrafo. As fotos de seu casamento e a experiência como um todo, em última análise, iriam pagar por isso.

;

2. Eventos únicos e importantes exigem grande responsabilidade. É uma vez na vida, um evento que é o culminar de meses ou anos de trabalho. Não há nenhuma chance de refazer, não com tantas pessoas importantes em sua vida que vem de tantos lugares distantes para estar com você e seu futuro cônjuge nesse dia. O que acontece se o seu fotógrafo deixa sua câmera cair? O que acontece se um dos cartões de memória de sua câmera estiverem corrompidos? O que acontece se o seu fotógrafo quebra seu tornozelo dois dias antes de seu casamento? Em cada casamento, o fotógrafo de casamento verdadeiramente profissional tem de estar preparado para os riscos de cobrir um evento único. Isso significa ter vários cartões à mão, softwares de recuperação de imagens, várias câmeras de boa qualidade e uma lista de contatos que posam lhe substituir no caso de ele não poder trabalhar. As contingências são numerosas. Essa preparação pode ser custosa e demorada de manter, por isso os custos mais elevados para os clientes.

3. Caráter sazonal do trabalho. Fotógrafos só podem, razoavelmente, esperar ter um casamento por semana. Esses quase sempre acontecem em um sábado. Para muitos mercados, incluindo o meu aqui em Kansas City, os meses de inverno não são muito populares para casamentos. O tempo pode ser muito desagradável e fazer viagens pode ser bem perigoso. Daí fotógrafos fora do Cinturão do Sol podem esperar estarem ocupados apenas sete a oito meses do ano. Um fotógrafo estará tendo um ano muito bom se tiver 20-25 casamentos. Para fornecer a você e a futuros clientes um serviço excelente, os fotógrafos têm de proteger as suas margens de negócio para o ano inteiro com aqueles 20-25 casamentos.

4. Um simples casamento representa um comprometimento maior de tempo. Seu casamento representa um comprometimento muito maior para o seu fotógrafo do que o simples trabalho no dia do casamento. Ele vai gastar muitas horas no planejamento, edição, processamento, apresentação e envio das imagens, para não mencionar álbuns e outros produtos de fotografia incluídos em seus pacotes. Seu casamento facilmente exigirá oitenta horas de seu fotógrafo, se não mais.

5. As ferramentas são caras. Um fotógrafo qualificado estará carregando US$ 10.000 ou mais em equipamento próprio durante seu casamento. O equipamento fotográfico digital geralmente terá de ser substituído a cada poucos anos. Isso é caro, considerando-se que corpos de câmeras profissionais cheguem a custar mais de US$ 2.500. O fotógrafo também deve atualizar os computadores e softwares com a mesma frequência. Acrescente a isso a depreciação normal de todos os equipamentos e os custos tornam-se de encher os olhos.

6. Compromisso com você. Como um fotógrafo do casamento eu posso te dizer que é muito mais agradável explicar preços para os clientes uma vez, ao invés de pedir desculpas pela qualidade de suas fotos para sempre. Daqui a dez anos ao ver o seu álbum de casamento, você não vai se preocupar com o custo do fotógrafo, mas você vai se preocupar com a qualidade de seu trabalho. Bom quase nunca é barato e barato é raramente bom. Um bom fotógrafo entende isso e constrói seu negócio com uma prioridade colocada em um compromisso com as suas fotos e experiência em primeiro lugar.

7. Fazer o negócio crescer é caro. Um fotógrafo de casamento não costuma trabalhar várias vezes para um mesmo cliente. Se o fizéssemos, isso significaria um monte de casamentos fracassados! Referências para a família e os amigos não são incomuns, mas há apenas amigos e família para se casar?
A propaganda boca-a-boca de clientes satisfeitos é importante, mas raramente é suficiente para preencher o calendário de um fotógrafo. Fotógrafos, mais do que outras empresas, têm que investir em planos de marketing que introduzam seus negócios para novos clientes potenciais. Muitos desses esforços de publicidade são caros. A colocação de uma página no site de anúncios The Knot custa mais de US$ 5.000 por ano. Isso não é barato.

8. Integridade. Imagine-se tentando decidir entre dois fotógrafos para seu casamento, um fotógrafo cumpre as leis e não corta custos para economizar alguns dólares, mas tem um preço mais elevado. Outro fotógrafo tem um preço mais baixo, mas burla leis e diminui a qualidade do serviço para ter um preço mais competitivo. Qual deles tem mais chances de te apoiar quando você precisar dele? Para alguns fotógrafos a integridade é sagrada. Eles entendem que o sucesso a longo prazo de seus negócios é impossível sem ela. A integridade exige que eles cumpram suas promessas no tempo e superem as expectativas. Seus assuntos internos de negócios são conduzidos com integridade também. Eles pagam sua justa parcela de impostos de renda como você, e um seguro de responsabilidade civil adequado. A integridade exige que eles recolham impostos sobre as vendas e paguem aos governos, na sua totalidade e no prazo. Tais práticas éticas nem sempre são fáceis de manter e muitas vezes nos obrigam a passar alguns desses custos aos clientes. Infelizmente, para alguns, a integridade é vista como um inconveniente ou um impedimento. Enquanto estas questões podem não parecer relevantes para a sua escolha de fotógrafo, é muito mais provável que uma pessoa ou uma empresa que honra todas as suas obrigações, honre suas obrigações para com você. Um fotógrafo mais caro não é garantia de tal integridade, mas é muito mais provável que seja.

A fotografia de casamento é cara. Ninguém pode discordar. Há uma miríade de razões que um fotógrafo tem de cobrar esses valores para garantir sua sobrevivência a longo prazo. Ao ponderar as suas opções e escolhas não perca de vista a importância que as memórias desse dia terão para você. Elas não devem ser confiadas a qualquer um. Os fotógrafos podem custar mais do que originalmente esperado, mas faça a si mesmo uma pergunta: É melhor pagar mais do que você esperava ou menos do que deveria?


Chris Cummins, é um fotógrafo de Kansas City e proprietário da Glow Imagery, um estúdio especializado em fotojornalismo de casamento e retratos contemporâneos. A fotografia tem sido sua vida por 18 anos. Chris é entusiasta de fotografia desde o tempo em que usar cuecas longas de flanela com botas de combate era moda. Ele se formou na Escola de Jornalismo da University of Missouri, com um bacharelado de fotojornalismo em 1996. 

quinta-feira, 2 de agosto de 2012

Quero ser modelo - o book


O book de fotos, além do composite, é uma grande ferramenta para dar os primeiros passos como modelo, atriz ou promotora de eventos. Boas fotos vão mostrar ao contratante a sua beleza, seus traços principais e mais marcantes e, para olhos treinados, até um pouco de sua personalidade.

Sendo assim, é imprescindível que o seu book de fotos seja feito com um fotógrafo profissional. Obviamente, fotos caseiras, por melhores que possam parecer aos seus olhos, não servem. Quando uma fotografia assim é enviada a uma agência, com certeza é descartada imediatamente.

É importante lembrar que não vale também fazer um book e não atualizá-lo. Você estará mudando, tanto física quanto profissionalmente, e renová-lo à medida que você for progredindo em sua profissão é quase uma obrigação. Lembro de uma empresária do ramo de ótica que estava montando uma campanha de uma determinada armação de óculos, e foi a uma agência. Vistos os books, decidiu pela modelo. Na hora do ensaio, a garota estava tão diferente que, para não perder a sessão fotográfica, fotografou com outro produto. As fotos não foram usadas na campanha, foram guardadas para uma próxima campanha desse outro produto, e todo o processo da campanha original foi atrasado... Nessa, perdem credibilidade tanto a modelo quanto a agência, infelizmente.

E então, vai entrar para o ramo? Faça você também um book de fotos e dê o primeiro passo para a sua carreira de sucesso! Entre em contato conosco aqui nos comentário ou nos mande um e-mail.

quarta-feira, 18 de julho de 2012

Quero ser modelo - dicionário básico

Vamos iniciar hoje uma nova série, dando dicas para as pessoas que aspiram ser modelo um dia. Seja profissionalmente ou como complemento de renda, ou ainda para tão somente massagear o ego.

Antes de mais nada, é necessário que você saiba qual tipo de modelo você pode ser, dependendo de seu biotipo ou preferência:




- FASHION: É aquela pessoa que faz desfiles em passarelas. O ideal é que seja alta e magra. Um bom indicativo é o padrão feminino internacional que hoje exige altura a partir de 1,70m, 50kg e quadril que não ultrapasse os 87cm! Para poucas não é? 
Com relação ao padrão masculino, ainda existem algumas controvérsias. Internacionalmente, o padrão "sarado" está completamente fora de moda nas passarelas. O que se vê nas passarelas internacionais é o magro, ou melhor: extremamente magro: 1,84m com 70kg! Bye Bye fortões! 

- COMERCIAL: É aquela que faz trabalhos fotográficos e comerciais. Em alguns casos, mesmo as mais baixinhas ou até um pouco gordinhas podem alcançar sucesso nesta área. Tem que ser fotogênica e expressiva. Aqui, os pobres mortais têm salvação!


Para iniciar essa série de textos, nada melhor que colocar ao leitor os termos e jargões utilizados no ramo. Um breve dicionário de verbetes mais falados nesse meio. Aí vai:


- BOOK: É um álbum feito POR UM PROFISSIONAL DE FOTOGRAFIA que geralmente possui umas 10 fotos no tamanho 20x30 capaz de apresentar o modelo à agência.

- CACHÊ: Pagamento que o modelo recebe por um trabalho.

- CAST: Todos os modelos de uma agência de modelos.

- CASTING: Uma seleção de alguns modelos, ou mesmo um teste (seleção) para um determinado trabalho.

- COMPOSITE: É um cartão impresso com as melhores fotos do book do modelo. Acontece que, ao se apresentar em uma agência, o modelo mostra o book. Se for interessante para a agência, eles pedem o composite, que fica na agência. Lá, estarão todas as suas medidas e dados, incluindo contato. Dezenas de composites podem ser visualizados nessa pesquisa.

- COMISSÃO: Percentual do cachê do modelo destinado a agência que o promove.

- LOCAÇÃO: Lugar fora do estúdio onde será feito a fotografia ou filmagem.

- NEW FACE: Modelo que ingressou recentemente na carreira. Provavelmente, é aqui que você entra!

- SCALTER: Caçador de talentos.

- TOP MODEL: Modelo que está em evidência em uma agência. Provavelmente, é aqui que você estará caso tenha sucesso, dedicação e talento!


A mC7 fotografia pode fazer para você dois desses itens citados aí no dicionário: O COMPOSITE e o BOOK. Para você que está pensando em se aventurar nessa área, pode começar com um bom composite, para ter o seu "cartão de visitas". Mais barato que o book, é uma opção. Para saber mais, comente a postagem ou entre em contato por e-mail. Aliás, Se fechar conosco até o final de agosto de 2012, você participará de nossa promoção!

quinta-feira, 12 de julho de 2012

Concorra a uma Nikon Coolpix


Para agendar seu horário, entre em contato via comentário, aí embaixo, ou mande um e-mail

sexta-feira, 22 de junho de 2012

Grandes Clicks: Anne Geddes


Já falamos aqui de vários fotógrafos na série grandes clicks, mas hoje é especial. Vamos falar de um verdadeiro fenômeno mundial, um ícone da fotografia: a australiana Anne Geddes.




Suas imagens de crianças conquistaram milhões de pessoas. Mais de 15 milhões de livros vendidos. Dispensa maiores apresentações



Seu estilo, onde bebês são fotografados como em conto de fadas, caracterizados como flores, dentros de ovos, etc. foi o seu diferencial para o sucesso. Nessa playlist, podemos ver um pouco do seu processo criativo e notar alguns detalhes de como são feitas as suas fotografias.

Não deixe de visitar o site oficial da autora.

sexta-feira, 18 de maio de 2012

Maio Fotografia no MIS

O Museu da Imagem e do Som, a partir desse ano, faz com que o mês de maio passe a ser dedicado à fotografia.

Nesta edição, obras de André Kertész, Andy Warhol, Claudio Edinger e Ozualdo Candeias.

Programação completa e mais detalhes nesse link.

terça-feira, 15 de maio de 2012

Grandes Clicks: Paulo Magoo

Hoje, a série Grandes Clicks fala de Paulo Magoo.

Nome real: Paulo Matsumoto.
Especialidade: Esportes a motor

Fotografou Senna em Suzuka (slide show abaixo)





Ainda hoje, curte trabalhar com filme. Em entrevista exclusiva ao DigiForum, conta sua história, dificuldades e prazeres com a fotografia. Leia na íntegra, aqui.

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Nikon volta a oferecer curso básico de fotografia em SP


Já aconteceu ano passado, como noticiamos aqui. E nesse final de semana tem de novo.

A Nikon do Brasil realizará no próximo dia 05 de maio a 3ª edição do Nikon School. O programa mundialmente conhecido da marca japonesa abordará o tema “Introdução à fotografia digital”.

O  evento  é  direcionado  aos usuários  de  câmeras  compactas  e  DSLR  que  queiram aperfeiçoar  seus  conhecimentos  sobre  fotografia,  composição  e  ajustes de  câmera.

Após a palestra, o usuário poderá aproveitar os recursos de seu equipamento com mais confiança.

Nota-se que o público-alvo deste programa é formado não só pelos apaixonados por fotografia, mas a todos aqueles que buscam melhorar suas fotos. A empresa convida mesmo àqueles que possuem câmeras de outras marcas a participar dessa iniciativa.

Durante a palestra serão abordados tópicos como:

• O uso da imagem
• Como é produzida a imagem digital
• Balanço de Branco e Luz
• ISO e Exposição
• Uso criativo dos modos de exposição da câmera
• Lentes, tipos e usos
• Noções sobre composição

O  encontro será  realizado  no sábado,  05  de  maio, das  9h  às  18h,  na  região  da  Av. Paulista. Para participar, o interessado deverá entrar em contato com o SAC da Nikon do Brasil [0800 – 88 – NIKON  (64566)] e fazer  sua  inscrição  mediante  pagamento  de R$ 149 (cento e quarenta e nove reais).

Com essas e outras iniciativas, a Nikon, companhia que atua no segmento de imagem desde  1917  e  está  presente  em  mais  de  80  países, visa  aproximar-se  do  consumidor brasileiro, compartilhando momentos, experiências e conhecimento.

sexta-feira, 30 de março de 2012

O que é lente 50mm? E 35mm? É zoom? Desvendando distância focal


Ontem me perguntaram:

"essa máquina aí tem zoom ótico de quanto?!"

Não condeno, a mídia e a publicidade de câmeras em geral vendem megapíxels e zoom ótico. Quanto maior esses dois números, melhor.

Ocorre que câmeras do tipo DSLR possuem o atributo de ter lentes intercambiáveis, ou seja, você troca a lente de acordo com o que lhe convém na hora de fazer a foto. "Aí é que mora o perigo". A escolha da lente exige análise de vários fatores, um deles vamos focar aqui nesse texto, visando responder a pergunta que ilustra seu início. Me refiro à distância focal. Medida em milímetros, é a dúvida mais frequente entre 9 de 10 pessoas que estão entrando para o mundo da fotografia reflex.



Então vamos lá. Se eu posso trocar de lente, qual o zoom ótico de uma DSLR? Resposta: Depende da lente, oras! Simples assim. Mas como saber, de uma determinada lente, quanto ela aproxima a imagem? Eu costumo fazer uma conta simples de cabeça. Não é exata, e não é a única verdade no mundo, mas me dá uma noção rápida. Eu divido a distância focal por 30. Então, uma lente 600mm aproxima a imagem em 20x

Aí me perguntam "O que quer dizer lente fixa 50mm?" A resposta vem em forma de comparação: imagine a sua máquina compacta, que tem zoom ótico de 2x e, em dado momento, enquanto você "puxava o zoom" a máquina engripou um pouco antes do máximo, quase nos 2x. Isso é uma 50mm fixa numa DSLR.

Então, que vantagem se leva? Várias! Lentes fixas geralmente são melhores construídas que lentes zoom, mais claras (é possível fazer fotos com menos luz) dentre tantas outras vantagens que citaremos mais tarde, em outro texto.

"Mas e uma 18-200 o que faz?" Bom, essa é uma lente zoom, ou seja, lentes que na hora de fotografar, eu posso variar sua distância focal. Então, se eu fizer a foto com 60mm estarei com "2x de zoom" e assim por diante. No seu máximo, os 200mm, estarei próximo de 6 ou 7x. Mas... e no mínimo? Bom, aí um conceito estranho, mas possível. Estarei com um zoom "negativo", ou seja, mesmo estando bem próximo do assunto, a imagem registrada é como se estivesse mais longe. Difícil explicar, mas são chamadas de lentes grande angulares.

Vamos ver essas comparações, que são o melhor exemplo que encontrei na internet sobre o assunto. As fotos foram feitas em um estádio de futebol americano, de um lado da arquibancada, apontando para a arquibancada oposta. Aproveitei-as de uma apostila, de autoria de Adriana B. Ferreira Cunha, da UFMG.

30mm

Veja que com 30mm a imagem é praticamente a que vemos a olho nu.


50mm
Agora, com 50mm já aproximou um pouco.


135mm

300mm

Veja que com 300mm a imagem já tem uma aproximação considerável



1000mm
E aqui, com 1000mm vemos perfeitamente o casal, que sequer vemos com 30 ou veríamos a olho nu...


Bom, é isso. Acho que deu pra ter uma noção do que é a distância focal. Ainda com dúvida? Escreve um comentário aí embaixo.

A grande angular? tá bom, está aí uma foto com 7,5mm

7,5mm


Percebe como a imagem fica como se estivesse mais longe que a olho nu? Quase se vê o pé do fotógrafo, e a arquibancada oposta fica praticamente invisível...

Até a próxima!

Ah, não esqueça de visitar nossa loja!



Click!

quarta-feira, 29 de fevereiro de 2012

Grandes Clicks: Cristina Otero


Pensa numa fotógrafa que curte autorretrato. E cores saturadas. 

Pensou em Cristina Otero. Detalhe: Essa espanholinha tem apenas 16 anos!

Se gostou dessa foto que ilustra o post, acesse e curta a sua galeria no Flickr

sexta-feira, 3 de fevereiro de 2012

Concorra a R$ 100,00


É fácil concorrer a uma nota azul! Basta curtir nossa Fan Page no Facebook e compartilhar essa imagem que você encontra lá mesmo na Fan Page.

Aí, na compra de um dos nossos pacotes de estúdio, você pode ganhar esse descontão de 100 pila!

 
Todos os direitos reservados. Tecnologia do Blogger.